fbpx

6 dicas para os professores melhorarem os resultados das aulas on-line.

Completamos um ano de distanciamento social e, consequentemente, de aulas on-line. Muita coisa aconteceu nesse tempo. As escolas, os professores, gestores e alunos mudaram muito. Já falamos sobre a importância da boa iluminação, da boa aparência do professor, da qualidade do áudio e da importância de se usar fones de ouvido com microfones. Agora, queremos focar em ações para melhorar os resultados de aprendizagem e interação dos seus alunos nas aulas on-line. Confira abaixo!

1 • Não descarte o uso de ferramentas analógicas, como as canetas e o bom e velho papel

Professor(a), há cerca de um ano você está investindo em muitas atividades virtuais, e isso é importante para o momento atual. No entanto, como está o controle motor fino dos seus estudantes? Como está a grafia manuscrita, a competência manual para colorir e pintar, a habilidade de recortar e colar papéis? Independente da idade do seu aluno, essas funções são importantes, por questões mentais e motoras. Use-as em algumas aulas, conforme as necessidades de sua disciplina. Vale solicitar esboços de mapas feitos e coloridos no papel, recortes variados. Considere, inclusive, brincar com a analogização de ferramentas virtuais das plataformas de aula, como a recém incluída de “levantar as mãos”. Peça aos seus estudantes que desenhem e recortem uma grande mão em um papel; sugira que colem e desenhem coisas que os identifiquem. Convide-os, em uma aula, a ligarem a câmera e levantarem essas mãos quando quiserem falar algo. Será uma boa estratégia de estimular a aparição na tela e de conhecê-los melhor.

2 • Diversifique as ferramentas de apresentação de slides nas aulas on-line

Sabemos que você está há um ano aprendendo a usar ferramentas virtuais nas aulas, e já está cansado(a) disso. No entanto, também sabemos que não há nada mais desgastante que uma aula mal-sucedida. Procure diversificar as plataformas usadas para fazer as apresentações das aulas expositivas. Use o bom e velho Power Point, mas também use o Prezi, o Canva, os slides do Quizizz, do Kahoot, do Google. Todos eles têm ótimas possibilidades gratuitas. Quando estiver sem criatividade para melhorar o design de suas aulas, busque inspirações prontas. Não há mal em usá-las, desde que você coloque o seu conteúdo de forma estilizada.

3 • Não ultrapasse 20 minutos de exposição teórica

Muitas pesquisas da Neuropedagogia, da Neurolinguística e de áreas afins já defendem que a capacidade de concentração é muito reduzida após um longo tempo de exposição teórica. Você provavelmente também já verificou isso na prática, tanto como professor(a) quanto como estudante. Por isso, planeje suas aulas de forma que haja momentos de teoria de no máximo 20 minutos. Mesmo que o conteúdo não tenha acabado, faça parênteses planejados com atividades curtas, músicas que abordem o assunto, pequenos vídeos, memes, tirinhas, charges. Existem sugestões de tudo isso para as mais variadas disciplinas. Dê a voz à turma, peça que digam o que pensam, que se posicionem sobre o que foi apreciado. Em seguida, retome a teoria. Você verá que essas pausas contextualizadas vão deixar a turma mais engajada, e até você ficará mais leve para seguir a jornada.

4 • Use plataformas de atividades variadas

Assim como você já aprendeu a utilizar diferentes plataformas para produzir slides, também já teve acesso a vários sites de produção de atividades. Socrative, Formulários Google, Quizizz, Kahoot, Classcraft. Inúmeras opções tentam gamificar a realização de exercícios. Nem sempre são bem sucedidas, mas é bom utilizar todas elas – e de forma alternada. Sabemos que, do ponto de vista pedagógico, muitas vezes trata-se apenas de colocar questões que estariam no papel em formatações diferentes. No entanto, isso que para nós pode não ser lá “grandes coisas”, é capaz de quebrar a rotina das aulas on-line e deixar seus estudantes mais animados.

5 • Proponha trabalhos em grupos. Peça apresentações em suportes específicos – e alternados.

Continue propondo trabalhos em grupo, mesmo que a plataforma de aulas on-line de sua escola não contemple essa função. Seus estudantes saberão como fazê-lo no modo digital, confie nisso. Tentar manter essa interação com finalidade acadêmica é importante. Além disso, procure pedir para que eles apresentem, e instrua-os quanto às plataformas que usarão. Peça para gravarem podcasts em um, para produzirem histórias em quadrinhos em outro, para produzirem animações em outro. Oriente-os a usarem as versões gratuitas das plataformas.

6 • Apresente-se com motivação nas aulas on-line!

No mais, não se esqueça da máxima das aulas presenciais ou virtuais: você é o especialista no conteúdo, é quem os estudantes esperam encontrar animados com o conhecimento. Procure apresentar-se motivado(a) a aprender e a ensinar. Sabemos que dias difíceis existem para todos, e seus estudantes também sabem que você pode estar desanimado(a) em algumas situações, mas é muito importante tentar deixar os problemas e as tristezas fora da sala de aula, seja ela virtual ou física. A docência é um trabalho que requer encantamento para o aprendizado, e dificilmente alguém se deixa encantar quando quem ensina está desmotivado. Procure apresentar-se assim, e verá que o resultado será outro.


Gostou deste artigo? Confira outros artigos sobre transformação digital para escolas.

Compartilhe este post nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Baixe nosso e-book e saiba porque a transformação digital é fundamental para sua escola

assine nossa newsletter e receba os conteúdos

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Este site utiliza cookies para oferecer a você uma melhor experiência na navegação.